h1

Gambozinos em Monchique

29/04/2009

Eu não acredito em Gambozinos, mas que os há…

gambuzinos

Fotografia: Sitío das Águas Alvas, Monchique.

14 comentários

  1. Tu melhor que eu saberás mas o facto é que Monchique tem um micro-clima tão especial, tão único, que só aqui e em Sintra é possível tal concentração dos ditos bichos. Diz quem já os viu que são pequeninos, peludos e se fizermos muito barulho saem da toca directamente para as sacas de serrapilheira:)


  2. e eu que os imaginava verdes e com antenas… :/


  3. @ Cris & CAL

    Quando comecei a caçá-los era eu quem batia as tampas das panelas com toda a força. Nunca os chegava a ver. Agora, que fui promovido, fico a dormir de saca aberta, pelo que, nunca os chego a ver também. Estando a dormir com a saca aberta, nunca os chego a ver fugir. 😛


  4. amigo Edudesculpe mais uma vez a penetrância no seu blogue mas eu tinha que intervir,porque aqui eu conheço o bicho mas tem outro nome.
    Já dizia o meu avô que a mata estava cheia de gramozilos nao sei se é a mesma criatura.


  5. Também levei anos a chamar os Gambozinos de Gramozilos. E, só por isso, também acho que tem muito mais graça a designação de gramozilos 🙂


  6. Oh madrinha 🙂 acho que já não é a primeira vez que te oiço descrever gambozinos verdes e com antenas! isso deve ser coisa que aprendeste ai na outra ponta do país, ou então no alentejo. Aí, confesso que, com os 40 graus que estão numa noite de verão, os gambozinos até ficam verdes!!!:p


  7. Oh Afilhada do meu coração (desculpa lá Edu, fazer de uma caixa de comentários do teu blogue, um painel “Ponto de Encontro”, e coiso, mas isto há coisas que não podem passar em branco…) eu, tudo o que é ser sobrenatural, é bicho verde e com antenas. Os Gambuzinos então, figuras míticas da noite serrana-sem-mais-nada-que-fazer e do completo desconhecimento de dois ou três forasteiro, para alegria e regozijo dos híbridos, hão-de acompanhar-me para todo o sempre. Verdes, e com antenas.
    *s e []s ! 😉


  8. Permito-me fazer dois apontamentos: um primeiro para registar – com apreço – mais um post, duplamente interessante, porque se trata de mais uma autêntica pérola materializada num dos cartazes que surgem do nada, por um lado, e, por outro, porque evoca um termo e elemento que faz parte do imaginário serrano monchiquense; tudo isto numa simples e curta frase e uma imagem, bem ao estilo do meu amigo Eduardo conjugando sempre, e de forma inteligente, mais valor com humor; um segundo, para esmiuçar o que são realmente as criaturas expressas no cartaz. Gambuzinos, tal como gramuzilos são de facto os termos utilizados no nosso imaginário serrano e que alude à brincadeira/fábula de amigos se juntarem para apanhar umas criaturas que ninguém vê ou que poucos viram, cuja caçada se fará com uma saca segurada pelo praxado e com o(s) outro(s) a fazer a corte à presa . Porém trata-se apenas – na minha opinião – de uma mera brincadeira para trazer para a terra o que à água pertence. Refiro-me ao peixe de água-doce chamado gambusia. Este que também é conhecido como o peixe-mosquito.
    À parte disso, apenas o registo que o terraruim é sem dúvida e cada vez mais um bom espaço que vale a pena passar. Parabéns amigo Edu e continua o teu rumo. Abraço amigo.


  9. @CAL;
    Presumo então que me vês como uma pessoa verde e com antenas? 😛

    @Victor;
    Falou o Provedor…O que é que se pode dizer? Muito bem, muito bem!!! 🙂 Também já tinha lido qualquer coisa que associava os gambuzinos às gambusias, mas também li algures que há um outro bicho real, cujo ecossistema é terrestre. Muito obrigado pela tua importante contextualização e pelas palavras de incentivo que mais uma vez aqui deixaste.


    • Claro que não!
      A ti (tenho-te) vejo-te, no Olimpo! 😀


      • Estás é um nadinha bronzeado para o Olimpo, mas não há-de ser nada. 😀


      • Isso és mais tu. E, ou muito me engano, ou tens pazes feitas com Atena 😉 Ah, e já agora, uma dessas criaturas verdes e com antenas, é capaz de ser o Miguel Veloso, com um novo corte de cabelo. 😀


  10. Ó pá… deixem o Miguel Veloso. Ninguém ajuda o Miguel Veloso. O Miguel Veloso não tem culpa de ter um penteado (popinha, faltinha de juízo e de acuidade visual) miserável (eis). Oferecia-lhe era uma gramática do ratinho.

    ( Sim, também há a gramática. Tabuada e gramática.)


  11. Gombozinos verdes e com antenas é aqui em Sagres e hibernam no inverno. A melhor altura para os caçar é quando estão a desovar e estão gordinhos quase que não conseguem correr. Aí é só encher o saco.



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: