h1

Cumpriu-se a profecia

19/05/2009

Uma profecia desenvolvida há pouco menos de um mês, aqui no Terra Ruim, dava poucos dias de vida ao Minipreço de Monchique. Hoje, pude constatar que as sagradas escrituras da Alegoria da Cafurna  se encontram, finalmente, cumpridas.

Esta manhã quando passei pelo minipreço, já não levava uma lista de compras, pretendia apenas um pacote de sal fino para espalhar por cima de umas batatas fritas. Voltei a chegar tarde ao supermercado e, desta vez, não fui a mais nenhuma superfície comercial. Preferi comer batatas fritas à minipreço, isto é, sem nada a acompanhar.

A hora em que por lá passei (11h da manhã), já nem deu para aproveitar as promoções de liquidação total. Terei perdido a oportunidade de ficar com o último Kg de nêsperas, ou com uma das 50 embalagens de Calgon anti-calcário que nunca foram compradas desde a abertura do supermercado. É que este é um produto que em Monchique ninguém utiliza (a água de Monchique possui um insignificante teor em calcário).

À porta só encontrei isto:

Fotografia: Instalações do Minipreço - Monchique. Rua Serpa Pinto.

Fotografia: Instalações do Minipreço - Monchique. Rua Serpa Pinto.

Pela mensagem escrita na cartolina, o encerramento não será definitivo, a bem da população em geral, das batatas fritas, que ficam melhor com uma pitada de sal, e dos apreciadores de conguitos, gomas (em particular aquelas azul bebé) e M&M’s XL.

Todavia, há que equacionar que a palavra remodelação pode ainda significar a conversão daquele espaço noutra coisa qualquer, com funções algo distintas daquelas que desempenhou até hoje. Dada a próximidade ao estabelecimento da família “Anibal Peixeiro” atrevo-me a especular uma possivel deslocação de instalações desta conceituas empresa monchiquense, uns metros mais para a frente.

Nas agora prateleiras carregadas de nada, ainda hei-de ver sacas de carvão ao lado de sacas de serrapilheira aprisionando caracóis, que por seu turno se encontram ao lado de grades de cervejas encostadas às rações para porcos, imediatamente ao lado da farinha Predilecta. Estas estão paredes meias com as alfaces, que tocam de leve nos adubos que se acomodam junto às pipas de vinho a martelo.

Veio-me à ideia agora mesmo, não sei como nem porquê, que retiradas dali as estantes, aquele espaço talvez desse um bom ringue de hoquei em patins, ou mesmo uns calabouços da GNR. Deixava-se lá estar as prateleiras, garantindo desta forma a melhor arrumação dos prisioneiros,  e, no local dos preços, colocava-se os anos que restavam para que estes cumprissem a totalidade das penas imputadas em julgamento. Sei lá, digo eu…

Anúncios

3 comentários

  1. Adoro conguitos fdxxxxxxxxxx
    enfiar presos em prateleiras genial!!!


    • Também eu Filipe! Mas tu, aí na capital, ou mesmo nos voos para África, ainda te safas e tens conguitos a dar com um pau . E eu? Agora vou comprar isso onde?! 😦


  2. […] 26/05/2009 Uma das principais razões pelas quais lastimei, em posts anteriores, o triste rumo e desfecho final do minipreço de Monchique, prendia-se com a possibilidade de me ser vedado o fácil e […]



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: