Archive for 21 de Maio, 2009

h1

Controlo direccionado de pragas

21/05/2009
Fotografia: Algures a 5 Km da Perna da Negra. Enviada por Emanuel Silva, um colega que durante um mês percorreu o concelho de Monchique para ganhar a vida.

Fotografia: Algures a 5 Km da Perna da Negra.

Alvíssaras a: Emanuel Silva, um colega Geógrafo que, não sendo nem amola tesouras nem almocreve, durante um mês percorreu o concelho de Monchique para ganhar a vida. Melhor batedor que este, só o perdigueiro de um caçador que seja verdadeiramente mentiroso!

h1

Mark Thing: Nouvelle Cuisine

21/05/2009
Spaghetti: o segredo está no molho. 
Fotografia: Aljezur
Fotografia: Aljezur

Assim se escreve, em bom português.

h1

Bittersweet

21/05/2009

É um daqueles dias que, entre os últimos e primeiros de cada ano, todos fazemos questão de assinalar no calendário. Os mais conservadores preenchendo quadradinhos nos caledários de papel, os mais dados às novas dependências tecnológicas, memorizando nos telemóveis ou em bases de dados criadas propositadamente para o efeito, como a que me tem dado um jeitão, a Birthday Reminder.

Preparei-me convenientemente para o dia de aniversário da Gi, pois é um daqueles que dispensa lembrete e que mais prazer tenho em comemorar. Entre flores e restantes mimos a parabenizar este dia e pessoa especiais, encontrei-me absorto: sendo uma das prendas por mim oferecidas dois bilhetes para o teatro, seria eu o par escolhido para acompanha-la à peça Os Maias no Trindade?

Ela, sem dizer água vai, espingardou: «-namoramos há mais de dois anos e tu nunca me compraste uma jóia, Edu!»,«- Porra, sabia lá que vendias esse tipo de merdas!», repliquei eu de alma seca. 

NOTA: A verdade é que fui eu o escolhido para seu par no teatro e que já antes lhe comprara uma jóia, mas achei que esta história tinha muito mais graça se fosse personalizada. 

(A não ser que aquelas coisas a brilhar na pulseira do relógio não sejam diamantes, conforme o cigano que mo vendeu por 80 000 cêntimos me fez acreditar. Devo dizer que fiquei plenamente convencido da autenticidade das pedras preciososas quando me disse que aquilo era um «swatchi verdadeiro»,  facto comprovado pelas lantejoulas falsas na «braceleti». E, tal como argumentou, «uma lantejoila falsa só pode ser um diamante de verdadi».)

Espero que a Gi não fique danada. Nem com este post,  cujo enredo se encontra brutalmente adulterado, nem com o swatch, cuja autenticidade tenho agora grandes dificuldades em atestar, pelas razões expostas pelo cigano.