Archive for 14 de Junho, 2009

h1

Àqueles companheiros d’armas

14/06/2009

A gente desunha-se, emaranhada em tormentas e aflições, para viver uma vida boa. Forja-se tudo o que mais valha para nos sentirmos bem connosco próprios e com os que nos cercam. Maquinam-se mil e uma formas de deixar um legado aos nossos descendentes, de modo a que a nossa figura, depois de fisicamente ausente, se torne perene no imaginário desses que cá ficam, martelando pelo mesmo objectivo. Foi assim desde o primeiro de nós, assim será até ao último.

Até ao momento, através do Terra Ruim, tive a oportunidade de condensar esta, esta, e mais esta história, tornando-as assim acessíveis ao António e aos que, depois dele, poderão vir. São três historietas colocadas ao serviço da memória colectiva das gentes de Monchique, e falam sobre criaturas de uma pureza, de um heroísmo humilde e sublime, que pensava extintos nesta brenha. Não são todas reais, mas todas têm qualquer coisa de verdadeiro.

No inarrável número de amigos que me tem acompanhado nas mais variadas contendas, tenho cá um, também ele dos bons, dos leais e dos rijos, capaz de ser o herói de muitas histórias dedicadas ao António e à minha gente de Monchique. Ainda não é tempo de contar essas histórias aqui. Nem em mais lado nenhum.

Esta tarde, passada bem perto do pequerrucho António, pensei para mim, no prazer que será um dia, poder apresenta-lo ao meu amigo Luís, monchiqueiro dos antigos, e deixar que este lhe conte pessoalmente uma das ínumeras e arrebatadoras histórias de que é principal protagonista. Aí terá chegado o tempo de as narrar. E, talvez o António saiba já melhor que eu, como redigi-las, com conveniente alarde.

h1

Mark Thing: Loiras de Santo António

14/06/2009

Santo António padroeiro

de Lisboa e Portugal

tenho míngua de dinheiro

pagas tu esta imperial?

Fotografia: Lisboa, Noite de Santo António

Fotografia: Lisboa, Noite de Santo António

Assim se escreve, em bom português.