Archive for Agosto, 2011

h1

Ocidental praia lusitana

17/08/2011

O que às vezes custa preitear o vínculo às evidências académicas da Geographia de Estrabão. Deu-se por esclarecido quem há pouco me perguntou se Portugal era o promontório mais ocidental da Europa continental. Mas eu não! «O país mais ocidental» – considerei, depois, detidamente. Espalmado no mapa das circunstâncias, sem enquadramento nas coordenadas da esperança, à deriva no Triângulo das Bermudas da História e a trocar as voltas aos pontos cardeais na Rosa-dos-Ventos do futuro, há quanto tempo Portugal, bafejado não sei por que ventos fatídicos, se distância a leste de tudo?

h1

Sagres

07/08/2011

Permuta de temperamento com a dureza da paisagem abismal do Cabo de S. Vicente, que, de resto, só me fez dar cabo de tudo. A cada apelo compassivo, a cada gesto humano das arribas, respondi eu, irremediavelmente, com a impassibilidade e a intransigência verticais do mau génio. A mirar-me no espelho imenso da nossa pequenez, enxuto do nosso passado de mareantes, ainda consegui ceder ao chamamento cansado das ondas e rever-me num promontório de esperança:

 

Terra líquida sem firmeza,

Espelho frio da História Universal

E das tormentosas superações.

Em ti navego, ainda na incerteza:

És reflexo embaciado de Portugal

Ou um verso naufragado na epopeia de Camões?

Fotografia: Gilda Marteniano