h1

Castro do Alferce

29/09/2011

Castro do Alferce, Alferce – Monchique. 478 metros de altitude.

Não me contento com os estrebuchões que vou dando no desenrolar da minha história tragico-telúrica. Nenhuma das minhas jornadas de andarilho se estende em léguas e léguas de contemplação paisagística, sem que se desencadeie em mim uma vontade inflexível de plasmar-me na Natureza a encurralar-me os sentidos e o entendimento. E, num desespero convulsivo, vou esbracejando freneticamente com versos, respondendo como posso ao aceno apaixonado do chão que piso:

Velho Castro do Alferce

O que és tu se não ruína

Da má sina

Que é ser

Sem parecer.

Velho Castro… cume sisudo,

Tudo o que aqui acontece

Acorda e adormece

Nos longes dum silêncio mudo.

Velho Castro da memória

Erodida.

Quem te vê dentro da História,

Fora de uma batalha acontecida?

Velho Castro… fortificado,

Desterrado de moiras e encanto.

Tristemente alcandorado

És pedras, solidão e pranto!

Fotografia: Castro do Alferce - Alferce, Monchique.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: