h1

Artechique

29/08/2012

Mãos engenhosas que, desde que o mundo é mundo, entretecem medas de vimeiro como tranças de cabelo, talham colheres de pau remexendo o caldo do tempo, tendem no linho os fios da vida, apontoam na renda o toque delicado e maternal da serra,sentam, em cadeiras de tesoura ou tabúa, bisnetos e antepassados à mesma mesa fraternal, pintam de um sol doce e pegajoso a lida aturada nos favos dos cortiços e transformam o pó insípido do chão num bolo que tem o doce crestado da terra.

É em Monchique durante o próximo fim-de-semana.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: