h1

Indignação

16/09/2012

Horas custosas as vividas nos metrónomos sociais do país. A Esperança hipotecada pela traição daqueles a quem diligentemente lha outorgamos. Farto de comer e calar, o povo juntou-se e, dando voz atormentada à consciência colectiva, num caudal de indignação e de revolta, galgou as margens passivas da resignação em vários lugares da pátria. Gritou, protestou, esbracejou, imprecou e respondeu com valores de democracia à perversão das equações econométricas vendidas pela ortodoxia neoliberal como hóstias de salvação. O seno e o cosseno das vontades individuais somadas a medir os mais de oitocentos anos de preservação da nossa identidade soberana. Sobre os cortejos de ontem, que as actas e gráficos existenciais  futuros não digam apenas isto: “o povo varreu a sua testada, arruou a indignação, recolheu à serenidade do lar e, na segunda-feira, foi tratar da vida.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: