h1

Requerimento

28/09/2012

Pedi à musa que viesse,
Que não me deixasse calado.
Que o poema acontecesse,
Nas prateleiras de uma quermesse
Em honra de um santo excomungado.

Pedi-lhe, numa prece, humildemente,
A voz inspirada da canção.
Uma centelha, um elixir, uma semente,
Um milagre da transformação:
Uma seara dourada e ardente
Que dos versos desse pão.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: