h1

Fogo Preso

14/12/2012

Lume a escorrer nas labaredas,
Palpitações trilhadas a suor,
Tochas iluminando as veredas
Que o coração sabe de cor.

Queria fazê-lo eterno numa fogueira
Feita dum tempo de cimento
E ficaria a vida inteira
A ver arder o meu sofrimento.

O fogo lento que me queima
Tem o calor de um Prometeu.
Sou cepa humana onde teima
Brilhar um sol que escureceu.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: