h1

Mar de levadia

15/01/2013

Não tenho paz e não a concedo a quem me rodeia. Embarquei a bater um mar de levadia e de inquietações onde nada está onde devia estar. Ou vou ao fundo, ou tenho a sorte de Álvares Cabral. A sorte de descobrir terra firme por acaso.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: