h1

Os meus livros

22/06/2013

Somos, realmente, aquilo que lemos. As estantes deste sarcófago que é o meu quarto são autênticos relicários onde está guardado aquilo que sou e até onde poderei vir a ser. São eles o epicentro dos meus transes, dos meus maiores arrebatamentos psíquicos e das minhas ousadias mais inquietas. Estarão para mim, no futuro, como as ruínas de hoje estão para as singularidades das civilizações antigas, mortas às mãos aterradoras das próprias perdições. Leio-os até à quase volatilização dos sentidos e à súbita sublimação consciente do entendimento. E são tantas as vezes em que só sinto o coração a bater nas têmporas e no peito graças às páginas que devoro como tremoços. Os livros são pilhas onde assentamos os pés da imaginação para nos fazer crescer o tamanho da alma. Tenho em mim todas as Dulcineias idealizadas, todos os Raskolnikov atormentados e todas as baleias indomáveis dos mares da liberdade. Sou de capa dura, mas estou cheio de ilustrações para crianças.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: