h1

Paraíso

17/09/2013

No tempo em que fomos felizes
Eu não contava os dias.
Os meus olhos eram raízes
De amor quando sorrias.
Ou quando, simplesmente,
Respiravas e me dizias
Que não regasse a macieira,
Que deixasse a serpente
Viver nela a vida inteira,
Porque nós, que éramos gente,
Seríamos felizes de qualquer maneira.
Mas agora cumprimos penas
Por não ter sabido guardar
Essas horas tão serenas.
Presos a paixões terrenas
Só as podemos provar
A imaginar, apenas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: