h1

Lou Reed

10/12/2013

O dia tem sido este nunca acabar de ideias sobre o processo de autodestruição implícito à criação. Como se, incompreensivelmente, os maiores génios que calharam em sorte a esta pobre Humanidade tivessem de descer aos abismos da imperfeição para nos elevarem ao céu da perfeição. Como se para nos darem luz, calor e transcendência, tivesse de ser Inverno permanente dentro deles. Desamigados de si mesmos, lutam contra o mundo combatendo-se. Quanto mais se revoltam diante do próprio reflexo, mais criam. Mas são poucos os que sobrevivem à solidão ou às próprias flagelações. Não há como negar. A arte é a forma mais egoísta de altruísmo da condição humana.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: