h1

Velho como um trapo

10/12/2013

Vinha de rosto cerrado, com nevoeiro dentro dos olhos. O ânimo desolado era a vertente virada a norte do costume, uma existência sofrida, onde Sol da esperança só chega quando chega, e por favor. Disse-me, como se estivesse a chover:
– A vida está gasta. Não há mais nada a achar nela. Tudo o que tinha a viver já veio à tona.
Não sei por que razão mais oculta, lembrei-me do Steinbeck, e, confiado no lume implícito nessa centelha, respondi:
– Tenha esperança! É procurar enquanto houver um fôlego sonhado! Existe sempre a possibilidade de encontrar uma pérola esquecida a brilhar no fundo do tempo. Do tempo que já foi e do tempo que ainda está por ser!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: