Posts Tagged ‘flores’

h1

Folha caduca

17/02/2013

Quanto mais franco, quanto mais livre, quanto mais autêntico, quanto mais verdadeiro, mais só. A sinceridade é uma porta dolorosa aberta à solidão.

FOLHA CADUCA

Dá gosto ver, porque impressiona,
O que fica da Natureza desfolhada.
Mesmo sem flores nem folhas na ramada,
Qualquer árvore invernosa emociona
Pela serenidade em que se vê frutificada.
Enraizada na terra doce da eternidade
Despe-a e veste-a o instinto de preservação.
Vive abrolhada em singularidade:
Dá frutos tão brutos, que apodrecem no chão.

Anúncios
h1

A poesia

26/08/2012

Chego ao final de cada poema com a pavorosa sensação de ser o último. De que não existe mais húmus imaginativo onde a voz da inspiração possa firmar as raízes. E fico-me na confrangedora desolação de homem que não sabe renunciar aos arroubos da mulher que o intruja.  Olho, por entre as frestas do desencantamento, a paisagem circunstante e vejo que há sombras e há luz, há pedras e há mares, há desertos e há rios, há chavascais e há flores. A poesia, como todas as naturezas espontâneas, virá, então, a seu tempo: à hora mais livre, mais pura e menos pensada.