Archive for Julho, 2011

h1

Fonte Santa

20/07/2011

Uma tarde inteira na companhia de dois amigos, a caminhar afanosamente sobre um mar encapelado de xisto, à procura da mirífica água da Fonte Santa, perdida na fundura da Serra. Mergulhado na brutalidade de certas evidências, a suster a respiração na liquidez tépida da realidade, o milagre termal durou pouco. Por muito que me esfregue por fora, por muito que a porcaria a regurgitar quase me volte do avesso, não há banho térmico que me purgue das amarguras a intoxicar-me por dentro.


Anúncios
h1

Mais uma

12/07/2011

É escusado. Não tenho remédio. Atiro setas ao ar, perco-as de vista, e fico parado em mim até me converter no alvo gravítico da minha agressão. De pés e mãos atados ao madeiro da vida, sofrendo a propósito de tudo e de nada, só posso esperar do saldo final da existência uma soma infalivelmente negativa. Mas fazer o quê? «Ser como sou, doa a quem doer. A mim em primeiro lugar.»