Archive for Novembro, 2010

h1

Quando o telefone toca

26/11/2010

Nunca achei piada, rigorosamente, nenhuma piada, aos programas feitos com o único propósito de encher chouriços e que entram pela madrugada adentro como se isso fosse a única alternativa ao chiar contínuo de uma imagem parada com o logótipo da estação de televisão em causa. São alguidaradas multimédia ocas, que ninguém vê, a horas em que alguém que esteja acordado tampouco se lembrará de recorrer a este tipo de programas para destruir uma noite mal dormida. Pensava eu…

Não obstante a Chico-Espertice embutida na acção, a tropelia que vão ver a seguir pareceu-me bastante acertada. Afinal de contas, lá em casa, não estava ninguém a acompanhar o programa.

h1

Sete Palmos de Terra

23/11/2010

Objectivamente, depois disto que é ser matéria em toda a linha, não acredito em mais nenhum cais de arribação metafísica. E que melhor dia que o de hoje, na redondez inexorável da sua fuligem, para de súbito me imergir do avesso no fado pusilânime destas endechas:

Debaixo destes sete palmos de terra cavados a enxada,

Mais nada!

Noite escura, funda, cerrada,

Abismo Perdido em solidão inanimada

Onde não rompe a alvorada.

Debaixo do peso frio

Destes torrões,

A mansidão dum rio

Que flui parado, seco de ilusões,

O fim de uma certeza declarada.

Feita a cama sempiterna do descanso,

É no barro dos seus lençóis que me lanço.

h1

Greve em cima da mesa

17/11/2010

Imagem: Abola online. Enviada por Rui Barros.

h1

Auto-retrato

12/11/2010

Tenho, desenhado nas entalhaduras do rosto,

Um desgosto

Que é gostar de sofrer sozinho.

Levantar-me a contragosto

Das quedas que malho no caminho

Poeirento do destino

Sombreado a carvão.

Perfil maciço esculpido em fatalismo,

Traço nos veios severos do Humanismo

Uma razão

De insubmissão

Que medra assim:

Na intimidade preservada da inquietação

A suprema liberdade dum sim

Dissimula a vontade renegada da negação.

Este é o retrato de mim,

Que uma força vital não engana,

Dois extremos de uma só expressão

De criatura árida e humana.

h1

Uma terra no SW de Portugal

12/11/2010

Fotografia enviada por António Duarte Águas

h1

Mark thing: regresso às aulas

08/11/2010

via tunalhos.blogspot.com

h1

Os Mercados

05/11/2010

Daquilo que é genuinamente metafísico já ninguém cuida. Agora conduzem-se as idiossincrasias metafísicas do rebanho à rapacidade esfaimada dos Mercados.